Poemas no e-mail

26 de outubro de 2016


O casamento dos pequenos defeitos!

Ela me ama, é fato!
Apesar de meus olhos fracos,
Metade dos dentes tortos e
Pelos por todo o corpo...

Ela me ama, eu sei!
Mesmo com minhas frieiras,
Feridas e cabelo crespo,
Calvo e grisalho.
(Meu Deus, tudo ao mesmo tempo!)

Ela me ama, afirmam seus juramentos!
Mesmo passado dos "entas",
Contas não tão suculentas,
Miúdo em meus documentos...

Ela me ama, assim desse jeito!
Conhece meu peito bem magro,
E bíceps já não tão potentes, meu choro.
Sabe que nada é perfeito...

Enfim...
Ela me ama, que bom, eu escolho
O amor que ela em mim recolhe e
Floresce em meio à defeitos.

- O que exige de mim, Jardineira?

- O simples amor em retorno,
Ser gentil, confidente e respeito!

- Por mim, de acordo, sou feliz e aceito!
Eu me comprometo!



Ele me ama, é fato!
Apesar de cravos nas costas,
O dobro do peso perfeito e
Pelos ligeiros no queixo...

Ele me ama, eu sei!
De sobrancelha malfeita,
De mechas de cabelos brancos,
Bem ralos e secos.
(Meus Deus, tudo ao mesmo tempo!)

Ele me ama, afirmam seus juramentos!
Mesmo passada dos trinta,
Das contas não pagas em dia e
O lábio já gasto e grudento...

Ele me ama, assim desse jeito!
Conhece meus peitos pequenos.
A força de meu abraço, meu cheiro.
Sabe que nada é perfeito...

Enfim...
Ele me ama, que bom, eu assumo
O amor que ele em mim semeia e
Floresce em meio à defeitos.

- O que exige de mim, Jardineiro?

- O simples amor em retorno,
Ser gentil, confidente e respeito!

- Por mim, de acordo, sou feliz e aceito!

Eu me comprometo!