Poemas no e-mail

13 de abril de 2011

Desculpai-me insetos!


Já não há flores nos campos
Tampouco nas floriculturas
Nos jardins já não há pólen
Torturam-se as abelhas. Coitadas!

Desculpem se tomo de assalto
Todo perfume que posso e carrego
Comigo as cores mais belas!
A primavera em meu quarto!

É meu presente à donzela
Como frutos de meu trabalho
Eu suo e gargalho. É festa!

Desculpai-me insetos! Mas juro
Que lhes devolvo o néctar em troca
Desse poema, que dou para ela!

Dedicado com carinho à Francine Niesing